Decreto-Lei nº 517 de 07/04/1969. ESTABELECE NORMAS PARA O DESEMBARAÇO ADUANEIRO DE MERCADORIAS.

 
ÍNDICE
TRECHO GRÁTIS

DEcRETO-LEI Nº 517, DE 7 De ABRIL DE 1969

Estabelece normas para o desembaraço aduaneiro de mercadorias.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o § 1º, do artigo 2º do Ato Institucional nº 5, de 13 de dezembro de 1968,

decreta:

Art. 1º

As mercadorias importadas retidas em instalações portuárias alfandegadas, exclusivamente em virtude de litígio entre o interessado e a autoridade fiscal, poderão ser liberadas, antes da decisão final, mediante fiança, depósito em dinheiro ou caução de títulos da dívida pública federal, no valor da quantia exigida.

§ 1º Quando necessário à instrução do processo, antes do desembaraço, será retirada amostra da mercadoria devidamente autenticada pelo Agente Fiscal e pelo importador e ou seu representante legal;

§ 2º Se não fôr possível a retirada de amostra, o processo será instruído com elementos que permitam a identificação da mercadoria;

Art. 2º

No caso de importações procedidas por órgãos da Administração Federal, Estadual ou Municipal, a liberação, antes da decisão final, dependerá apenas de assinatura de têrmo de responsabilidade, independemente de prestação de fiança, depósito ou caução.

Art. 3º

Fica autorizado o Ministro da Fazenda a conceder, em caráter excepcional, a quaisquer outras entidades, o tratamento previsto no artigo anterior.

Art. 4º

O chefe da repartição terá prazo de 5 (cinco) dias, contados da entrada em protocolo da petição interessada, para conceder a medida pleiteada, devendo fundamentar sua decisão quando denegatória.

Art. 5º

Mesmo que a decisão final do litígio seja favorável ao interessado, êste será responsável pelo pagamento da armazenagem e das despesas de remoção, se não houver providenciado a liberação da mercadoria na forma estipulada no...

Para continuar a ler

PEÇA SUA AVALIAÇÃO